quinta-feira, 20 de outubro de 2016

II. Xamanismo e Bruxaria

Está aí uma questão polêmica. Qual a diferença? O que surgiu primeiro? São a mesma coisa? Sim ou não?

Imagem: "Magic Circle" de John William Waterhouse, editada por mim.

A Bruxaria na modernidade surge como um culto elitista de origem principal europeia e influências veladas do próprio Cristianismo, negando ou omitindo tudo o que era considerado "primitivo demais", como as práticas de povos indígenas, especialmente a comunhão com as Plantas de Poder que foram marginalizadas e demonizadas.

O que a separa do Xamanismo é o Tempo. O tempo em que a cultura indígena foi esquecida e deixada apenas entre as próprias tribos que não se urbanizaram. Tempo este que aos poucos vem chegando ao fim a medida que os cultos da Nova Era dão lugar ao Universalismo, e os praticantes das Artes Ocultas vêm abraçando a todo o tipo de prática, inclusive a prática do Xamanismo, que resgata a origem de TODOS os cultos, a religiosidade primal.

Introdução

Cheguei a conclusão de que não existe uma resposta exata, entretanto não encontrei nenhuma definição específica de um ou de outro que realmente delimitasse uma separação rígida, partindo deste princípio, considero que Essencialmente ambos são a mesma coisa, porém na atualidade separa-se um do outro entre os próprios praticantes, esta separação se dá mais devido às formas de trabalho que estão ligadas a umas ou outras tradições antigas, e por este motivo eu trouxe além da minha visão, a opinião de um praticante de bruxaria para integrar o nosso estudo.

Eu acredito que dentro da visão que separa uma prática da outra, o Xamanismo então seja mais antigo, porque o mesmo se relaciona muito mais com culturas tribais. Geralmente a Bruxaria se relaciona mais com práticas antigas mas que não remontam há tanto tempo quanto as Xamânicas, como a religiosidade dos Celtas e outros povos camponeses nórdicos que já eram estabelecidos em agrupamentos e comunidades maiores e com mais tecnologia do que as tribos indígenas, até mesmo do que as atuais, eles já teciam suas roupas por manufatura, por exemplo, enquanto há indígenas que ainda usam apenas tangas e outros ornamentos mais simbólicos. Outro ponto é que na Bruxaria atual se cultua muito mais divindades arquetípicas (com características humanizadas) do que no Xamanismo atual, onde se cultua principalmente as forças da Natureza.


História: Quando ocorreu essa cisão?

Essa história é mais antiga do que eu imaginava e faz parte da história da humanidade. Todos nós sabemos que a Europa se desenvolveu tecnologicamente antes das Américas, por exemplo, sem entrar no mérito dos demais continentes. As Américas foram colonizadas por europeus, como sabemos também, só contando esta parte da história podemos explicar como se deu essa cisão pelo menos aqui no ocidente, porque realmente eu não saberia dizer sobre o mundo todo se considera-se Xamanismo e Bruxaria a mesma coisa ou não.

Se você entender que a primeira religiosidade do homem que foi o culto a natureza é essencialmente o que designamos por Xamanismo, você entenderá que não só a Bruxaria atual como toda a religião que existe se originou do Xamanismo, então muito embora os Europeus tenham avançado tecnologicamente antes do que os Americanos, sua origem também é nativa (tribal), então como naturalmente ocorre nas civilizações esses nativos europeus se desenvolveram e junto com esse desenvolvimento geralmente vem a negação do antigo como "primitivo" ou "ultrapassado", junto a isto, também outro fato importante que a maioria sabe é que na Idade Média foi imposta a religião cristã, então toda prática de magia foi demonizada, especialmente a comunhão com Plantas de Poder, que também foi usada pelas bruxas europeias por sua herança ancestral, pois sabemos que todas as civilizações praticaram a comunhão com enteógenos desde os primórdios da humanidade, a diferença é que as plantas nativas de uma região e outra geralmente não são as mesmas, de origem europeia podemos citar como enteógeno a Artemísia, por exemplo.

Assim como muitas pessoas na atualidade têm preconceitos com indígenas até mesmo do seu país de origem, na antiguidade ocorria o mesmo e ainda pior, imagine então como seriam os europeus em relação a nativos dos países aos quais se está invadindo! Porque "colonizando", convenhamos, não apetece mais...
O europeu da época colonial, geralmente cristão, pouco empático e esquecido de suas origens ancestrais sempre se considerou superior aos indígenas das Américas, tanto que dizimaram nosso povo, assim como o fizeram na Inquisição em lugares diversos. Mas de alguma forma uns e outros grupos de bruxos que se esconderam e conseguiram preservar algumas tradições antigas da Idade Média sobreviveram e aos poucos foi-se resgatando a magia europeia, que teve seu ápice na criação da religião Wicca por Gerald Gardner revitalizando a bruxaria.

Então a bruxaria moderna surge infelizmente ainda carregada de dogmas e preconceitos que foram como cicatrizes profundas deixadas pela Inquisição e imposição do Cristianismo, assim negando ou omitindo muito do que foi sua cultura mais ancestral, em especial a comunhão com as Plantas de Poder, que no ocidente passou e ainda passa por diversas proibições, fato que motiva muito da sua omissão. Sendo assim, como a bruxaria moderna no ocidente teve sua origem principal na Europa, o preconceito com o indígena americano foi algo enraizado da nossa "colonização", então a coisa ficou assim "omissa", como se ninguém olhasse para a cultura nativa, enquanto as poucas tribos que restaram continuaram praticando muito de sua magia que conseguiram preservar da ancestralidade, aqueles que não se urbanizaram permaneceram com seus cultos originais apesar do avanço tecnológico das Américas nos últimos 500 anos.
A Bruxaria não surgiu primeiro, mas foi a primeira a se popularizar na modernidade, a publicidade do Xamanismo é recente, muito dela é devido a criação da doutrina do Santo Daime que tem sua origem essencialmente Xamânica e trouxe a luta pelo direito a comunhão com Plantas de Poder. Tivemos a recente regulamentação do uso sacramental da Ayahuasca (decocção das plantas amazônicas Chacrona e Jagube), a criação da Native American Church de origem tradicional dos índios Lakotas (norte-americanos) onde se comunga com uma preparação do cacto Peyote, e a liberação da Cannabis em alguns países vizinhos ao Brasil e na América do Norte.


Diferenças e Semelhanças na Atualidade


De forma geral as características do Xamanismo são bem semelhantes às da Bruxaria, é como se a Bruxaria tivesse surgido como uma forma de resgate da religiosidade ancestral, porém deixou algumas características para trás reproduzindo o que fizeram seus predecessores europeus, mas que na atualidade têm sido incorporadas aos poucos entre os praticantes de Bruxaria e até mesmo entre os escritores mais famosos. No que costumamos entender por Neo-Xamanismo o foco das práticas está em grande parte relacionado aos povos indígenas, principalmente ao uso de Plantas de Poder, ao chamado "voo da alma" (que hoje se entende mais tecnicamente por Projeção Astral/Mental, segundo estudiosos espiritualistas) e aos fenômenos de transfiguração/transformação em Animais de Poder, que na verdade é um fenômeno mediúnico que muito se assemelha a uma "incorporação", isso se não podemos dizer que é a mesma coisa, porém essa "mudança de forma" a níveis físicos não se têm provas de que seja visível a olho nu e para qualquer espectador em estado normal de consciência (não expandida), entre outras práticas.

Todas as particularidades citadas acima são mais presentes na religiosidade tribal, de povos indígenas, bruxas podem fazer tudo isto também, uma vez que prezam pela liberdade e geralmente também comungam com a natureza com frequência, mas é mais provável encontrá-las nos grupos de Neo-Xamanismo, então o ponto mais forte que observei delimitando a diferença entre Bruxaria e Xamanismo hoje é a reverência e culto a herança nativa dos praticantes deste último, e  também o fato de que qualquer um que pratique bruxaria assiduamente pode ser considerado Bruxo, mas o mesmo não ocorre com a prática do Xamanismo, um Xamã é uma pessoa que tem uma espécie de liderança espiritual sobre sua tribo e muitas vezes sobre uma comunidade inteira, sendo respeitado mesmo fora de seu meio, inclusive, geralmente passam por processos iniciáticos fortíssimos, especialmente experiências de quase morte, é um espírito no mínimo singular. O equivalente a um Xamã seria o que entendemos por Sacerdote, e o praticante do Xamanismo pode ser melhor nomeado como Xamanista, como já mencionado em outro artigo.
Apesar disso tudo, um ponto comum entre ambos é a celebração aos ciclos naturais, a chamada "roda do ano" existe na maioria das tradições indígenas também, de forma muito parecida, simplificada ou até mesmo mais complexa. Os indígenas possuem seu próprio calendário, com ano novo, época de colheita, época fértil, época de recolhimento, e tudo isto seguindo os ciclos da natureza com suas características próprias a depender da tribo e da região, a bruxaria traz consigo a mesma coisa, só que geralmente com mais influências europeias, de Camponeses nativos, mas não mais indígenas.


A Bruxaria e o Xamanismo por um Bruxo

"Duas tradições diferentes mas muito semelhantes, que em alguns momentos se encontram e em outros se separam. Muitas das técnicas utilizadas na arte da bruxaria foram incorporadas e/ou adaptadas do xamanismo mas não, não são a mesma coisa. Acho difícil dizer qual das duas é mais antiga, se é que exista uma mais antiga do que a outra, talvez surgiram juntas e devido à costumes locais e culturais seguiram caminhos paralelos, ora semelhantes ora diferentes. 
A prática do xamanismo é tão vasta quanto a prática da própria bruxaria, basta estudarmos um pouquinho para descobrirmos isso, existem muitas formas. Mas confesso que é mais difícil ainda separar essas duas tradições, na bruxaria temos roda de tambores, o conceito do animal totem, trabalhamos e despertamos as ervas sagradas, realizamos muitos rituais ao redor da fogueira, utilizamos muitas técnicas de transe através dos instrumentos xamânicos e por aí vai, no entanto todos esses conceitos citados são provindos do xamanismo. 
Já no xamanismo temos rituais específicos como o ritual de iniciação no cachimbo, as rodas de cura, tendas do suor e etc, que não fazem parte da bruxaria, no entanto trabalha-se com as quatro direções de poder o que acreditamos tenha sido incorporado da bruxaria, ou não. É complicado afirmar, mas historicamente falando sabemos que povos de diferentes culturas e tradições conviveram entre si, e logo não é difícil imaginar que trocaram muitos conhecimentos. 
Para compreender o xamanismo e a bruxaria é preciso vivencia-los e estudá-los, ambas são tradições riquíssimas tanto em conhecimento quanto em beleza, e poderíamos ficar horas a fio aqui falando das semelhanças e diferenças, mas o que realmente importa mesmo é que essas duas tradições contribuíram e contribuem muito uma com a outra e ambas têm muito a acrescentar a todos nós!"

Dann Aristides é estudioso e praticante das Ciências Esotéricas, Magia e Bruxaria. Iniciado na Bruxaria, Magia e Feitiçaria Cigana. É Fitoterapeuta Holístico, formado em Reiki xamânico, Reiki Tradicional, consultor em Feng Shui, Tarólogo, Runólogo e Numerólogo. Estudioso, praticante e apaixonado pela Stregheria (Bruxaria Italiana) e Xamanismo. Vem desenvolvendo seu trabalho desde 2008 junto à comunidade Pagã e Esotérica. Ministra cursos em diversos espaços e escolas holísticas. Participa de eventos como a Convenção de Bruxas e Magos de Paranapiacaba e Mystic Fair.




Considerações Finais

O Xamanismo realmente é o originador de todo e qualquer tipo de culto religioso hoje existente, e foi e ainda tem sido negado e omitido em sua totalidade, por motivos torpes e preconceituosos a princípio, mas que por consequência acabaram apenas sendo reproduzidos em sua omissão por quem não foi a fundo na história, não da Bruxaria, ou do Xamanismo, mas da humanidade e sua magia. A Bruxaria surge na atualidade como uma forma de resgate do próprio Xamanismo (apesar do termo ser contemporâneo, seu significado é muito ancestral), e foi durante esta transição  que ocorreu a grande cisão, aonde resgataram-se alguns costumes antigos de origem europeia (considerada elite) e os mais arcaicos ficaram por muito tempo limitados ao contexto tribal pela marginalização dos indígenas, especialmente os americanos. E lentamente, por volta dos anos 70 a 80, foi que as pessoas no ocidente começaram a olhar novamente para o povo indígena e a reconhecer a sua sabedoria, começando um novo resgate da cultura ancestral que começava ainda mais antigo do que a Bruxaria ao recriar os ritos dos camponeses europeus. Entretanto, não nos ocuparemos de determinar o nível de importância de um ou outro, mas de retomar esse resgate das nossas origens na intenção de unificar estas duas forças, o refinamento que não nega o primor da essência.
Como eu costumo dizer, o Xamanismo acaba sendo mais do que um modo de vida, mas a nossa obrigação enquanto ser humano habitante da Terra, de reverenciar e respeitar a Natureza que nos nutre e abriga como uma Grande Mãe, seja bruxo, seja cristão, seja o que for. Se a sua religião ou culto prega o amor e o desenvolvimento do ser, então o Xamanismo também pode ser para você.

Saiba mais sobre o Xamanismo lendo a parte I:
I. Introdução Geral ao Xamanismo



Teve alguma dúvida? Em breve haverão mais textos explicando mais profundamente muitos dos conceitos aqui expressados, aguarde, comente sua dúvida (pois pode ser a de outros leitores), ou me envie um e-mail: vandanashakti@hotmail.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário