sábado, 1 de outubro de 2016

I. Introdução Geral ao Xamanismo

Imagem: Acervo pessoal. Cachimbo e Maracá, dois dos principais elementos utilizados no Xamanismo, especialmente os de tradição brasileira.

Para começar, compartilho com vocês o meu estudo inicial sobre o que é o Xamanismo, atualizado e editado. 
A palavra Xamanismo foi recentemente criada (há poucas décadas) por antropólogos, a palavra é de origem siberiana e possui origem em "Xamã", que ao pé da letra significa "aquele que enxerga no escuro", uma forma de designar aquela pessoa na tribo que possui dons extrassensoriais. Atualmente a palavra Xamanismo dá nome a um conjunto de manifestações espirituais e magísticas do ser humano em comunhão com a natureza de forma sagrada, quase sempre por meio de estados alterados de consciência (êxtase, transe). 

O Xamã seria um Feiticeiro/Bruxo *Sacerdote (que dedica a sua vida a esta atividade), uma pessoa detentora de poderes especiais, divinatórios, etc. Se for a uma das obras mais clássicas do Xamanismo e da Enteogenia, A Erva do Diabo de Carlos Castañeda, verá que o índio Dom Juan se utiliza frequentemente da palavra "Brujo", mas de Bruxaria falaremos mais adiante. No Brasil, no contexto tribal tradicional, nós chamamos o Sacerdote do Xamanismo de Pajé, Pajelança nada mais é do que o Xamanismo genuíno brasileiro.

Há que se ter cuidado com a nomenclatura Xamã (que diz respeito ao Sacerdote Xamã tradicionalmente), àqueles que comungam com as Sagradas Medicinas com certa assiduidade podem ser melhor nomeados com a designação Xamanista, embora a ideia de ser um praticante de Xamanismo nem de longe se limite a apenas comungar com as medicinas indígenas, mas como no ocidente as pessoas geralmente não têm uma dedicação espiritual tão frequente, muitos dos xamanistas apenas comungam com as medicinas sem vivenciar o Xamanismo em sua totalidade, que está mais para um estilo de vida do que uma religião (no sentido doutrinário).

O Xamanismo caiu na mesma falácia do "católico não-praticante", a pessoa considera-se inserido neste contexto espiritual apenas por concordar com suas ideias principais e participar de algumas atividades sem compromisso, sem necessariamente participar ativamente de alguma prática, como o cristão que apenas vai a missa e não traz para sua vida cotidiana os valores cristãos, muitas pessoas vão a rituais públicos mas a maioria delas não pratica o Xamanismo em seu dia-a-dia, pela razão de que no fim, o próprio caminho acaba exigindo uma mudança muito grande na vida do ser humano, uma observação de si mesmo e do mundo que a correria da vida urbano-capitalista não nos permite, mas para quem consegue a gratificação de poder vivenciar ao menos 50% disso em sua vida, contempla o sabor da vida simples mas cheia de magia, pagando o preço, que é o desapego, especialmente material.

O daimista é o fardado da doutrina do Santo Daime que passou pelo rito iniciático de fardamento, tornando-se assim um membro da doutrina, considerado um soldado da Rainha da Floresta, que também é, por consequência de utilizar as medicinas frequentemente, um xamanista, então pode-se dizer que a doutrina do Santo Daime, além de cristã-universalista é essencialmente xamânica.

O Xamanismo não é uma doutrina religiosa, embora uma religião possa ser xamânica, ou possa apenas aderir a algumas práticas consideradas xamânicas em seus cultos, ele pode estar inserido em uma doutrina ou não, ele funciona de forma independente. De forma geral, consiste em um conjunto de práticas de magia natural, cerimonial, e de mediunidade com fins de cura física e espiritual, e também de orientação para a vida cotidiana para o desenvolvimento pessoal.
O uso de ervas, musicalidade, transe, e outros, está contido no Santo Daime, Umbanda, Candomblé, Catimbó, Wicca, Druidismo, Catolicismo e muito mais. E indo além... O que eram os "cultos de nação" afro senão práticas xamânicas oriundas das tribos nativas africanas, com seus próprios panteões de deuses que representam as forças da natureza?

O Xamanismo possui em suas culturas tradicionais além de um forte culto a Natureza, também um forte culto aos ancestrais e ao Sagrado Feminino.

Eu costumo dizer que o Xamanismo é a nossa obrigação enquanto ser humano habitante do planeta Terra, de nos harmonizarmos e termos reverências por todas as grandezas e forças naturais que nos cercam, e saber utiliza-las em nosso favor e de nossos irmãos (humanos, animais, plantas, etc), entendendo que fazemos parte de todo esse sistema, por isto o Xamanismo também é um estilo de vida fundamentado em princípios de ecologia.

Por fim, o Xamanismo é mesmo muito abrangente, falar dele nos leva longe e abre diversos outros caminhos, como alguns estudiosos dizem, o Xamanismo não é uma religião, mas a origem de TODAS elas, quando o homem das cavernas aprendeu a "rezar" durante a noite para o Céu, pedindo que na manhã seguinte houvesse o dia, o Sol, então isto já era o início do que um dia se chamaria Xamanismo, mais do que uma religião, uma religiosidade inata, natural, um estilo de vida que pode ser re-descoberto dentro do coração de cada um, dentro da nossa natureza interior que, embora nos esqueçamos, é conectada a toda natureza externa, a maior manifestação Divina.

Hoje, além de todas as características que já o acompanham desde a sua mais remota existência e as que foram sendo incorporadas ao longo do tempo, tornou-se também uma poderosa ferramenta terapêutica e de autoconhecimento nos meios urbanos, caindo inclusive no comércio.

Leia mais sobre o Xamanismo:

II. Xamanismo e Bruxaria

III.Sagrado Xamanismo
IV. Estilo de Vida Xamânico



Teve alguma dúvida? Em breve haverão mais textos explicando mais profundamente muitos dos conceitos aqui expressados, aguarde, comente sua dúvida (pois pode ser a de outros leitores), ou me envie um e-mail: vandanashakti@hotmail.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário